Close

Educação 4.0: Conversando com Gestores [Programa 003]

Concebendo uma pauta de inovação na escola

Programa [003] – Publicado com autorização expressa do autor.

 

Caro (a) gestor (a),

Apresento abaixo o terceiro programa da série ‘Educação 4.0: Conversando com Gestores’.

Neste programa vamos tratar de três tópicos fundamentais para a criação de um processo de inovação em educação:

1 – Esboço de uma pauta de inovação em sua escola: primeiros passos.

2 – Visão estratégica para conceber uma pauta de inovação para a sua escola.

3 – Contribuições da Educação 4.0: O Modelo Sistêmico de Educação (MSE)

Acompanhe a série ‘Educação 4.0 – Conversando com gestores’. Visite também: http://www.carvalhonetocz.com/teste/.
Solicite informações sobre a palestra ‘Educação 4.0: princípios e práticas de inovação em Gestão e Docência’ e a nova Base Nacional Comum Curricular, para ser realizada em sua instituição de ensino. Envie e-mail para: 4.0educa@gmail.com

Educação 4.0: detalhamento dos pilares estruturadores

Modelo Sistêmico de Educação (MSE)

Pilar Central (MSE) – Responsável pela sustentação sistêmica da Educação 4.0.

O pilar central da Educação 4.0 apresenta o Modelo Sistêmico de Educação[1] (MSE), o qual permite analisar e situar a instituição educacional a partir de uma visão sistêmica.

Figura 2: Estrutura do Modelo Sistêmico de Educação (MSE), destacando sua abordagem complexa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A figura 2 apresenta o Modelo Sistêmico de Educação (MSE), onde podem ser identificadas as seguintes estruturas:

  • Superestrutura, onde situam-se os paradigmas, o currículo e os modelos de ensino-aprendizagem;
  • Mesoestrutura, dimensão das criações de base tecnológica (na perspectiva de Tecnologia como ‘Techné’ e ‘Logos’, isto é, criação e razão operando em conjunto), protagonizadas por gestores, docentes e discentes e que implicam na instalação de processos de gestão e docência com metodologias específicas e fazendo uso de técnicas e da integração de sistemas de mídias analógicas e digitais;
  • Infraestrutura, que inclui equipamentos, dispositivos físicos, redes de dados e elétrica e demais instalações da escola.

Pode-se notar também na figura 2, referência ao contexto da cultura na qual se insere cada instituição educacional e como suas políticas são concebidas e executadas a partir de valores, escolhas e decisões.

O Modelo Sistêmico de Educação (MSE) se constitui em um instrumento de análise e sustentação estratégica e operacional para gestores, professores e estudantes, permitindo gerar imagens dinâmicas de uma escola ao qualificar e quantificar especificidades de suas subestruturas, de modo a fornecer subsídios para a criação de políticas de curto, médio e longo alcance institucional.

O MSE mostra-se particularmente útil quando utilizado na elaboração de programas de formação inicial e continuada de profissionais, ao permitir uma visão dinâmica dos impactos que se espera alcançar como resultado das ações a serem empreendidas, permitindo analisar campos de incerteza, de modo a elevar os índices de sucesso de programas dessa natureza, fundamentais para o desenvolvimento humano.

Mais especificamente, o estudo de taxas de insucesso relacionadas a programas de educação profissional continuada revela a especial atenção que deve ser dada aos aspectos afeitos à Superestrutura, principalmente quanto a expectativas de mudanças no âmbito de paradigmas, currículo e modelos de ensino-aprendizagem na escola. Esses tópicos receberão aprofundamento no presente estudo e serão apresentadas estratégias de enfrentamento que visam elevar as taxas de resultados esperados em programas dessa natureza.

FONTE (adaptado)

Livro: Educação 4.0: princípios e práticas de inovação em gestão e docência. Autor: Prof. Cassiano Zeferino de Carvalho  Neto, Dr. Laborciencia editora, 2018.